• Dr. Douglas Kind Eleutério

"Modulação hormonal" - Você está sendo enganado

Atualizado: 29 de ago. de 2021


"NÃO EXISTE ESPECIALISTA EM MODULAÇÃO HORMONAL" - Posicionamento da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).


A "especialidade" intitulada "modulação hormonal" não é reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina.


O que vemos hoje - em um mundo em que o apelo estético e a necessidade de ganho em performance esportiva estão em níveis assustadores - é o surgimento de "médicos" e outros profissionais autointitulando-se especialistas em "modulação hormonal".


Na prática, eles se utilizam de um termo que torna o velho conhecido doping ("bomba" para alguns) algo menos assustador e mais atraente. O fato de vir associado a um rótulo de especialista, faz parecer com que a prática é liberada e legalizada.


Vamos ver alguns esclarecimentos da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) sobre isso?

  • Não existe Especialista em Reposição Hormonal e não é reconhecida, pelo Conselho Federal de Medicina, especialidade intitulada “Modulação Hormonal”.


  • A reposição hormonal é um ato médico e somente pode ser feita por profissionais médicos. A especialidade que trata de alterações hormonais é a Endocrinologia e Metabologia.


  • A reposição de qualquer hormônio deve ser feita baseada na deficiência do mesmo, com acompanhamento médico especializado, observando-se riscos e benefícios do uso;


  • Não há respaldo na literatura médica para uso de preparações hormonais com intuito de retardar o envelhecimento;


  • O uso indiscriminado de hormônios sem deficiência comprovada está relacionado a diversos efeitos colaterais, os quais podem ser sérios e por vezes irreversíveis, colocando em risco a vida do paciente em curto prazo e complicações de longo prazo;


  • Não há indicação da dosagem indiscriminada de testosterona na população masculina. O diagnóstico da deficiência de testosterona no homem deve ser baseado na junção de queixas clínicas associadas a níveis baixos de testosterona dosada pela manhã, em duas ocasiões. Tal diagnóstico não deve ser feito na vigência de doenças sistêmicas agudas ou graves. Portanto, para a reposição é necessária a presença de sintomas clínicos e deficiência laboratorial.


  • Não há indicação da dosagem de testosterona na mulher, visto que não existem pontos de corte definidos para níveis baixos de testosterona no sexo feminino. A dosagem de testosterona na mulher só se presta para o diagnóstico de excesso de testosterona (hiperandrogenismo). Não há também preparações de testosterona para mulher disponíveis no mercado brasileiro e não é recomendado o uso de formulações masculinas para mulheres.


  • O uso da reposição de testosterona para níveis supra-fisiológicos, isto é, acima das necessidades básicas do organismo humano, com objetivo de melhora de rendimento esportivo/aumento de massa muscular, é considerado doping em atletas profissionais e ilegal em amadores, estando dessa forma contraindicada a prescrição.


Fique atento!!!


Ao agendar um médico, sempre pesquise o nome dele no site do Conselho Federal de Medicina e veja se ele realmente é especialista naquilo que ele divulga. Segue o link:


https://portal.cfm.org.br/busca-medicos


Este Blog é de caráter informativo. Nenhuma informação dos textos deve ser considerada indicação médica. Dados científicos podem variar conforme a fonte ou o momento de sua publicação. Para esclarecer suas dúvidas ou buscar tratamento, procure um médico.


Fonte: https://www.endocrino.org.br/alerta-sbem-nao-existe-especialista-em-modulacao-hormonal/

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo