• Dr. Douglas Kind Eleutério

Cirurgia bariátrica: quando é indicada?


O encaminhamento ("relatório") para cirurgia bariátrica não é feito em uma consulta.


Por se tratar de um método invasivo e que envolve riscos (ver abaixo), o processo deve ser conduzido de forma séria, respeitando-se as resoluções vigentes.


Na prática, se após um mínimo de 2 (dois) anos de acompanhamento com Endocrinologista e equipe multidisciplinar não ocorrer perda de peso satisfatória, pode-se avaliar a possibilidade de encaminhamento à cirurgia bariátrica após a discussão de possíveis riscos e benefícios.


Durante estes dois anos, busca-se implementar profundas mudanças no estilo de vida do paciente, algo fundamental em qualquer tratamento que objetive a perda de peso.


Quais são as indicações da cirurgia bariátrica?

  • Pacientes com IMC acima de 40kg/m².

  • Pacientes com IMC acima de 35kg/m² portadores de comorbidades que ameacem a vida. Destacam-se diabetes, hipertensão arterial sistêmica, apneia do sono, doenças cardiovasculares, entre outras.

  • Pacientes acima de 18 anos.

  • Obesidade estabelecida conforme os critérios acima, com tratamento clínico multidisciplinar insatisfatório de, pelo menos, dois anos.


Por que é necessário um acompanhamento prévio de dois anos?


Embora a cirurgia bariátrica seja um bom método para a perda de peso em doentes com obesidade grave, ela pode não surtir o efeito desejado. Por isso, é fundamental que o paciente esteja totalmente preparado para o procedimento. Isto inclui:

  • Identificar e tratar condições que possam estar associadas ao ganho de peso ou que dificultem a perda de peso, como distúrbios hormonais e psiquiátricos.

  • Orientar o paciente a implementar mudanças reais e profundas no seu estilo de vida.


Quais são as contraindicações à cirurgia bariátrica?

  • Uso de drogas ilícitas ou alcoolismo.

  • Transtornos de humor graves, quadros psicóticos em atividade ou quadros demenciais.

  • Ausência de acompanhamento regular multidisciplinar.


Equipe multidisciplinar

  • Cirurgião.

  • Endocrinologista.

  • Nutricionista.

  • Psiquiatra.

  • Psicólogo.

  • Avaliações por cardiologista e pneumologista podem ser solicitadas.


Outras considerações


O paciente está sujeito a complicações precoces e tardias, tais como:

  • Complicações cirúrgicas.

  • Embolia pulmonar.

  • Náuseas, vômitos, síndrome de dumping.

  • Cálculos biliares.

  • Déficits nutricionais relativos a macro e micronutrientes.

  • Osteoporose.

  • Alterações psicológicas/psiquiátricas.

  • Outras.


Existe a possibilidade de não perder o peso esperado e, também, de reganho de peso.


É fundamental o acompanhamento regular também após o procedimento com equipe multidisciplinar composta por médico endocrinologista, nutricionista, psicólogo e o que mais se fizer necessário.


Este Blog é de caráter informativo. Nenhuma informação dos textos deve ser considerada indicação médica. Dados científicos podem variar conforme a fonte ou o momento de sua publicação. Para esclarecer suas dúvidas ou buscar tratamento, procure um médico.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo